Tiago Campos Pereira

Área de Pesquisa:

Genética Molecular da Anidrobiose (vida sem água)

A água é considerada a matriz da vida, o meio onde ocorrem todas as reações bioquímicas. Sua ausência nas células acarreta na denaturação das proteínas e colapso das biomembranas - morte. Neste sentido algumas espécies desenvolveram estratégias para superar situações de estresse hídrico. Um exemplo clássico constitui de pequenos animais que vivem em poças temporárias de água. A evaporação das mesmas leva à dessecação destes espécimes, que entram em um estado de animação suspensa conhecido como anidrobiose (do grego, "vida sem água"), restaurando suas atividades após reidratação.
O conhecimento completo das vias moleculares envolvidas neste processo é um requisito para a engenharia anidrobiótica (EA): um campo recente que se destina a tornar células/estruturas biológicas tolerantes ao estresse hídrico. A viabilidade preservada na ausência de água traria um imenso avanço na medicina, transplante de órgãos, manutenção de banco de células e tecidos, transporte de vacinas e muitas outras aplicações. A necessidade de validar estes genes no processo de resistência à dessecação e identificação de novos elementos exige ferramentas de genética reversa.
Nosso laboratório visa identificar genes associados à anidrobiose, possivelmente descrevendo novos elementos/vias. A identificação completa de vias permitirá reconstruirmos tais processos em células não-anidrobióticas, gerando um grande avanço na área biomédica.
Nosso grupo conta com a colaboração do Dr. Alan Tunnacliffe (University of Cambridge, UK) e Dra. Ann Burnell (National University of Ireland) que formam dois dos mais importantes e atuantes grupos na área de anidrobiose no mundo.