Cássia Carrascoza Bomfim

Natural de São Paulo, concluiu Bacharelado em flauta em 1991, na Escola de Comunicações e Artes- Universidade de São Paulo. Como bolsista da Fundação VITAE, estudou na Academia Franz Liszt de Budapest (1993-1996) e no Conservatório Sweelinck de Amsterdam (1997). Em 2009, concluiu o curso de Mestrado e graduou-se como Doutora em musicologia em 2016, na ECA-USP.
Venceu diversos concursos, entre eles o Jovem solistas da orquestra Experimental de Repertório e Jovem Solista da Orquestra Sinfônica de Ribeirão Preto, IX Prêmio Eldorado de Música, onde obteve o 4° lugar.
De 1999 a 2018, foi primeira flautista da Orquestra Sinfônica do Teatro Municipal de São Paulo com a qual se apresentou ao lado de grandes nomes da música internacional, como Luciano Pavarotti, José Carreras e Placido Domingos, June Anderson, Boris Belkin. De 2000 a 2014 foi primeira flautista da Orquestra Jazz Sinfônica do Estado de São Paulo, junto a qual se apresentou diversas vezes como solista, além de acompanhar músicos como Paulinho da Viola, Edu Lobo, Caetano Veloso, Luís Melodia, César Camargo Mariano, Nana Caymmi, João Bosco, entre outros.
Como solista, se apresentou à frente da Orquestra Sinfônica Municipal de São Paulo, da Orquestra Sinfônica de Miskolc – Hungria, Orquestra Jazz Sinfônica, Orquestra Sinfônica de Campinas, Orquestra Sinfônica do Paraná, Camerata Fukuda, Orquestra Juvenil do Estado de São Paulo, entre outras.
Se apresentou em salas como Concertgebouw de Amsterdam, Palais Bozar de Bruxelas, America Society- NY, Sala São Paulo, Sala Cecília Meireles – RJ., Centro Cultural Banco do Brasil, Teatro de Cultura Artística, Teatro Guaíra de Curitiba, CPFL de Campinas, Bethanienkloster – Amsterdam, Grande Sala da Academia Liszt Ferenc de Budapest, Kistérem Zeneakademia – Budapest, entre outras.
Desde a sua fundação em 2010, passou a integrar a Camerata Aberta de EMESP, com a qual recebeu o prêmio APCA 2010 de música contemporânea e o 8° Prêmio Bravo 2012. Tendo participado das turnês com esse grupo para Bélgica, Holanda, Portugal e por duas vezes Estados Unidos. Em 2015 o Governo do Estado de São Paulo encerrou as atividades do grupo.
Junto à Ricardo Bologna idealizou a série + do Selo SESC, dedicada a interpretação de obras consagradas do repertório do séc. XX e XXI e ao fomento de novas obras de compositores brasileiros. Junto ao Percorso Ensemble do qual é integrante participou como flautista de dois títulos dessa série : Berio + e Ligeti+.
Foi professora da EMESP de 2009 a 2015. Em 2016, junto ao Quinteto Pierrot, recebeu o PROAC para gravação de Cd, com o mesmo grupo foi selecionada em primeiro lugar para o edital do BNDS.
Desenvolve um intenso trabalho na pesquisa da performance da música contemporânea brasileira, recebendo diversas obras dedicadas a ela e realizando várias estreias no Brasil e exterior de importante compositores como Silvio Ferraz, Alexandre Lunsqui, Rodolfo Coelho de Souza, Flo Menezes, Mathias Kadar, Eduardo Alvares, Arrigo Barnabé, Mikhail Malt, entre outros.
Participou da gravação de diversos Cds, entre eles: Fronteiras- Duo Graffitti com Ricardo Bologna, Marisa Resende - realizado pelo LAMI, ECA-USP, Trópico das Repetições de Silvio Ferraz, Camerata Aberta- Espelho DÁgua, Contraluz de Marcus Siqueira, Festival de Música Nova junto ao Ensemble Música Nova, e do premiado DVD O Som da Orquestra- A Democracia das Madeiras, lançados pelo Selo SESC, entre outros.
Em 2017, lançou o Cd Tempo transvesal- flauta expandida, para flauta solo, pelo selo SESC, projeto que idealizou e fez a direção artística e foi indicado pela Revista Bravo entre os 10 Cds imperdíveis de música erudita de 2018.
Desde 2018, é docente junto ao Departamento de Música da FFCLRP-USP no campus de Ribeirão Preto, onde leciona as disciplinas Flauta e Percepção.

Área de Pesquisa:

1. Análise e interpretação do repertório de concerto para flauta
Objetivo: abordar em análises estilísticas e estruturais obras do repertório para flauta solista, de música de câmara, orquestral e eletroacústico, desenvolvendo novas perspectivas para a performance.
2. Análise e desenvolvimento de pesquisa em novas sonoridades
Objetivo: Ampliar e sistematizar o vocabulário sonoro da flauta, através de pesquisa com a flauta amplificada estúdio, trabalho de colaboração entre compositores e performers, autores brasileiros e internacionais e complementar o material didático já disponível dedicado a tais técnicas.