Maria Sol Brassesco Annichini

Graduada em Bacharelado em Genética pela Faculdade de Ciências Exatas, Químicas e Naturais da Universidade Nacional de Misiones, Argentina (2000), obteve Mestrado e Doutorado em Ciências Biológicas (Área de concentração: Genética) pelo curso de pós-graduação do Departamento de Genética da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, USP (2003 e 2006, respectivamente). Realizou pós-doutoramento no Departamento de Puericultura e Pediatria da mesma instituição (2007-2009) onde continuou como pesquisadora associada com o apoio do Programa Jovem Pesquisador FAPESP (2010-2013). Atualmente ocupa o cargo de professora doutora (RDIDP) na área de Genética no Departamento de Biologia da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto, USP.

Área de Pesquisa:

1) Estudo de alterações genético-moleculares de neoplasias malignas da infância, e busca de alvos terapêuticos potenciais para seu tratamento:
Esta linha de pesquisa propõe: a) procurar por marcadores moleculares que possam ser utilizados como auxiliares no diagnóstico e/ou prognóstico em pacientes portadores de neoplasias; b) indagar os efeitos in vitro e em modelo animal da inibição de diferentes onco-proteínas (como NF-kB, PLK1, AP-1, ROCKs, etc.) e/ou microRNAs objetivando o desenvolvimento de terapias alternativas para o câncer.

As abordagens de estudo são múltiplas: estudo de variações citogenéticas, alterações epigenéticas, e desregulação da expressão gênico-proteica de marcadores em pequena (sequenciamento, qRT-PCR, Western Blotting, imunofluorescência, imunohistoquimica, etc.) ou em larga escala (microarrays, RNAseq); estudos funcionais que envolvem tratamentos com compostos antitumorais inovadores, radiação ionizante e transdução gênica, focando nas respostas celulares ao nível do controle do ciclo celular, mecanismos de morte, alterações na expressão gênica, clastogenicidade, e a avaliação de outros parâmetros celulares como viabilidade, e capacidade clonogênica e invasiva das células tumorais; desenvolvimento de ensaios in vivo que permitam obter respostas sobre outros aspectos como progressão tumoral e sobrevida após tratamento.

2) Aplicações biotecnológicas para o tratamento de lesões ósseas:
Esta linha de pesquisa visa o desenvolvimento de cimentos ósseos alternativos que permitam a sua integração através da adição de porosidade e substancias osteoindutoras.