Taísa Magnani Dinamarco

Área de Pesquisa:

Atualmente, a geração de etanol no Brasil baseia-se exclusivamente nas tecnologias de primeira geração, ou seja, que utilizam o conteúdo de sacarose da cana-de-açúcar. No entanto, neste processo é produzida uma grande quantidade de resíduos, como o bagaço e palha da cana, os quais se forem completamente utilizados pode melhorar ainda mais a produção de etanol baseada na segunda geração. A produção industrial de etanol a partir de componentes vegetais é uma estratégia importante para que esse produto se torne competitivo com os combustíveis tradicionais. Entretanto, a conversão da biomassa para a energia utilizável não é economicamente favorável a não ser que a hemicelulose seja usada em adição à celulose. Assim, esta linha de pesquisa tem como objetivos: 1) A obtenção de cepas industriais de S. cerevisiae derivados PE-2, que apresentem maior capacidade na via de assimilação de xilose a partir da seleção de mutantes utilizando técnicas de evolução dirigida e expressão heteróloga de diferentes proteínas envolvidas na rota de conversão de xilose; 2) O isolamento de mutantes de S. cerevisiae que sejam mais eficientes no processo de assimilação de xilose, através de técnicas de mutagênese aleatória; e 3) Caracterização ao nível transcripcional de todos os mutantes selecionados.