Alessandro Martins da Costa

Área de Pesquisa:

Dosimetria in vivo em radioterapia externa com feixe fótons - A radioterapia é frequentemente utilizada no tratamento do câncer, seja como uma modalidade simples ou em combinação com outras modalidade, tais como a cirurgia e a quimioterapia. Utiliza radiações ionizantes e baseia-se na destruição das células tumorais pela absorção da energia da radiação incidente. O principal problema da radioterapia é que as células tumorais não são tratadas isoladamente, isto é, o dano da radiação não é restrito somente às células tumorais, mas afeta também as células normais. Assim sendo, é essencial que a dose de radiação liberada nos tecidos normais seja tão baixa quanto possível para minimizar o risco de efeitos colaterais do tratamento radioterápico. O problema de assegurar que as doses estejam sendo liberadas apropriadamente é o objeto de estudo da dosimetria in vivo. Apesar da dosimetria in vivo já ter sido implantada e utilizada rotineiramente em países considerados desenvolvidos desde a década de 80, não existe ainda no Brasil um esforço no sentido de se adotar tal sistemática, assegurando assim que as doses administradas aos pacientes estão de acordo com o planejamento do tratamento efetuado.
O objetivo desta linha de pesquisa é desenvolver e implantar um sistema de dosimetria in vivo para tratamentos radioterápicos externos com feixes de fótons como parte de um programa de controle da qualidade em um Serviço de Radioterapia, utilizando-se para isto a técnica da dosimetria termoluminescente.
Para a viabilização da implantação de um programa de controle da qualidade da dose liberada ao paciente com o uso de dosímetros termoluminescentes serão realizadas medições com objetos simuladores sólidos e com um objeto simulador antropomórfico, irradiados nas unidades de tratamento e envolvendo técnicas típicas de tratamento.