Conteúdos

1. Discussão teórica a respeito do papel do observador e da importância dessa atividade para o psicoterapeuta;

2. O observador enquanto continente da díade mãe - bebê;

3. Desenvolvimento infantil no primeiro semestre de vida;

4. Teoria psicanalítica do desenvolvimento infantil: Winicott, Klein, Bion;

5. Conhecimentos referentes ao atendimento psicoterápico de orientação psicanalítica;

6. Observação da relação mãe bebê família desde o nascimento até os primeiros seis meses de vida;

Métodos Utilizados

1. Leitura e discussão de textos referentes ao método de observação da relação mãe-bebe-família, de orientação psicanalítica, preconizado por Esther Bick, sobre desenvolvimento infantil e sobre a atuação do psicólogo no âmbito da saúde.

2. Observação semanal da relação mãe-bebe-família, tendo como suposto que o observador não é neutro.

3. Transcrição das sessões de observação.

4. Supervisão semanal das observações realizadas, através de seminários clínicos.

Atividades

- Observação semanal da relação mãe-bebe-família no domicílio da díade

- Transcrição das sessões de observação

- Leitura dos textos propostos

- Participação nas supervisões clínicas - seminários clínicos

Avaliação

Formação teórica: participação nas supervisões e discussão dos textos será avaliado desempenho do aluno na observação, refletindo seu conhecimento de princípos técnicos e teóricos que fundamentem sua forma de atuação. Avaliação individual, através das transcrições descritas e entregues que refletem os conhecimentos adquiridos. Esta avaliação se realiza no decorrer de todo o semestre letivo e compreede a participação efetiva observada por meio de:

- Domínio do conteúdo (embasamento teórico, coerência e consistência das colocações)

- Busca de informação (ampliação de fontes informativas, necessidade de buscar novos conhecimentos, interesse)

- Capacidade de argumentação (assimilação de conhecimentos, capacidade de utilização dos mesmos de forma crítica)

Formação Prática: Avaliação de cada aluno, individualmente. Os aspectos a serem considerados dizem respeitos à conduta responsável nas observações realizadas, apreendida por meio de:

- Compromisso com o exercício das atividades (presença nas supervisões, disponibilidade para discutir).

- Conduta responsável com a família observada (respeito à situação de cada família, cumprimento dos horários, não cancelando das observações sem justa causa, zelar por todo o material referente à família)

- Relatórios dos trabalhos realizados (transparecendo um exercício efetivo de reflexão sobre a atuação).

Formação Ética: Avaliação de cada aluno na observância dos preceitos do Código de Ética Profissional.

Recuperação

Não será oferecida recuperação devido ao caráter prático da disciplina, exigindo a realização de atividades de observação durante todo o período.

Bibliografia

BICK, E. Notas sobre a observação de bebê no treinamento psicanalítico. Int. J. of psychoanalisis, vol. 45, 1964.

BICK, E. A experiência de pele em relações de objeto arcaicas. In: Int. J. of psychoanalysis, 49, 484-6.

HARRIS, M. A mãe suficientemente boa: notas sobre a função continente materna. Revista brasileira de Psicanálise, vol. 24, nº 2.

HARRIS, M. Crianças e Bebês à luz de Observações Psicanalíticas. Enciclopédia Aberta da Psique.

KLEIN, M. Algumas conclusões teóricas sobre a vida emocional do bebê. In: KLEIN, M.; HEIMAN, P.; ISAACS, S.; RIVIERI, J. Os Progressos da Psicanálise, Zahar Editores, Rio de Janeiro, 1982.

KLEIN, M. Sobre a observação do comportamento de bebês. In: KLEIN, M.; HEIMAN, P.; ISAACS, S.; RIVIERI, J. Os progressos da Psicanálise. Zahar Editores, Rio de Janeiro, 1982.

MÉLEGA, M. P. (org.) Observação da relação mãe bebê. Método Esther Bick. Tendências. 1º Simpósio Brasileiro de Observação da Relação Mãe - Bebê. Coletânea de Artigos, Unimarco, São Paulo, 1997.

REZENDE, A M. Elaboração da posição esquiso-paranóide e elaboração da posição depressiva. Aulas ministradas pelo autor em curso para psicoterapeutas em Ribeirão Preto, 2000.

SYMINTON, J. Ester Bick,. In. LACROIX, M.B.; MONMAYRANT, M. (org.) A observação de bebês, os laços do encantamento. Artes médicas, 1997.

SYMINTON, J. Observação do Lactente. In. LACROIX, M.B.; MONMAYRANT, M. (org.) A observação de bebês, os laços do encantamento. Artes médicas, 1997.

WINNICOTT, D. W. A preocupação materna primária. In: Textos selecionados: Da pediatria a Psicanálise. 2ª edição. Editora Francisco Neves, 1982

WINNICOTT, D. W. Recordações do nascimento, trauma do nascimento e ansiedade. In: Textos selecionados: Da pediatria a Psicanálise. 2ª edição. Editora Francisco Neves, 1982

Observação da Relação Mãe-bebê-família Numa Abordagem Psicanalítica I

Código5940156
DepartamentoPsicologia e Educação
Palavra-chaveObservação da Relação Mãe-bebê-família Numa Abordagem Psicanalítica I

Sobre a Disciplina
ModalidadePsicólogo
NaturezaOptativa Eletiva
Regime de oferecimentosemestral
Semestre7o semestre
Créditos4
Período 25/2/2008 a 5/7/2008
Duração15 semanas
Vagas10 vagas
Material DidáticoVerificar em Downloads

Horários da Disciplina
DiaQuinta-feira
Início07:00h
Término09:00h
LocalCentro Didático - Sala 09
BlocoHumanas e Biológicas

Pré-requisitos

5940007 - Etica Profissional - Departamento de Psicologia e Educação
5940007 - Etica Profissional - Departamento de Psicologia e Educação